Nossa fundadora

Madre Teresa de Jesús GerhardingerBeata Maria Teresa de Jesus Gerhardinger, anteriormente Carolina Elizabeth, nascida em Regensburg, Stadthamhof a 20 de junho de 1797 filha única de Willibald Gerhardinger barqueiro e sua esposa Mary Frances Huber . Tanto a casa dos pais como visitar os pobres e as viagens através do Rio Danúbio fascinavam Carolina. Seus pais a prepararam para a vida em seus vários estilos e assim despertando a riqueza de seus dons, da mente e do coração. Seus anos de escola com as Cônegas de Notre Dame ajudaram Carolina no total desenvolvimento e formação de seu caráter, bem como a excelente transmissão do conhecimento em disciplinas escolares da época. Assim como uma criança, desenvolveu as qualidades que promoviam a sua vocação e satisfizessem as suas exigências : abertura para o mundo , o amor para com os pobres, liderança firme e grande amor e devoção a Deus.
A educação formal para meninas na cidade de Carolina chegou a um fim inesperado em 1809 , quando o convento de Stadtamhof , juntamente com outras instituições da Igreja, foram fechadas, como vítimas da guerra e da secularização. Então George Michael Wittmann , pastor da catedral e, mais tarde bispo auxiliar de Regensbur , encorajou os talentos da jovem paroquiana para se tornar uma professora. Ele mesmo iria garantir a formação e acompanhamento necessário para isso. Sua habilidade como professora crescia pois as meninas eram receptivos às suas instruções e treinamentos. Por mais de duas décadas como professora na escola de Stadtamhof, fez desta uma escola modelo . Desta forma, ela se preocupava com a pessoa como um todo , com todas as suas necessidades. Ela acreditava que através da educação cristã das mulheres e mães poderia fazer uma renovação na vida familiar e, através desta, uma mudança positiva na sociedade. Por isso, ela se dedicou à educação para meninas ao longo de sua vida .
A partir de 1816, Carolina, com outras duas professoras em Stadtamhof , levou uma vida dura de estrita pobreza, penitência e oração fervorosa. Durante estes anos, o seu desejo de entregar-se totalmente a Deus na vida religiosa cresceu mais ainda. Bispo Wittmann viu isso como um sinal de Deus para fundar uma comunidade religiosa dedicada à educação de meninas e mulheres jovens. Ele preparou para esta fundação Carolina, mas morreu em 1833, antes de seu plano se realizar. No entanto, Carolina, com uma firme confiança em Deus e apoiado por pelo Padre Francis Sebastian Job, um amigo de Wittmann , seguiu o que ela reconheceu como sendo a vontade de Deus: com duas companheiras, ela começou a viver a vida religiosa apostólica em Neunburg vorm Wald em 24 de outubro de 1833. Ela fez sua Profissão Perpétua em Regensburg em 16 de novembro de 1835 e, posteriormente, recebendo o nome de Maria Teresa de Jesus.
O amor de Madre Teresa para com Deus e as pessoas foi alimentado pela oração e mostrado por sua luta para glorificar a Deus e expandir o Seu reino. Ela permaneceu empenhada em cumprir a vontade de Deus, mesmo que fosse por meio da cruz e sacrifícios extraordinário. Em tal obediência fundou a Congregação das Irmãs de Nossa Senhora. Ela viu sua Congregação como obra de Deus, com base na Eucaristia, enraizado na pobreza e dedicada a Maria .
A convite do rei Louis, Madre Teresa transferiu a Casa Mãe para o antigo convento das Clarissas em Anger, Munique. Ela viu e aproveitou as oportunidades da Metrópole para a educação de suas irmãs e para a propagação de sua comunidade, em casa e no exterior. Sua fé e generosidade ajudaram a proclamar a boa nova do Reino de Deus onde quer que ela fosse chamada. Em 1847 suas primeiras cinco missionárias partiram para a América do Norte, e a partir de 1850, as Irmãs Escolares foram para países da Europa, fora da Baviera . Elas viviam em pequenas comunidades e trabalhavam em escolas, creches e orfanatos, principalmente rurais e áreas pobres. As irmãs se tornaram pioneiras no desenvolvimento do sistema de educação do século XIX na Alemanha e deram uma contribuição essencial para a organização do sistema escolar paroquial na América do Norte .
Madre Teresa reconheceu que a rápida expansão global da comunidade jovem precisava de uma liderança forte. Lutava para regular um governo central da congregação através de uma Superiora Geral. A visão de Madre Teresa foi confirmada e ela provou seu amor e fidelidade à Igreja. Depois de uma longa e dolorosa polêmica com o arcebispo de Munique – Freising, ela recebeu o reconhecimento Papal para a sua Congregação em 1854. Em 1865 o seu projeto de regra foi aprovada pela Sé Apostólica. Assim, a unidade de sua congregação foi garantida e uma nova forma de governo para as Congregações Religiosas foi aceita pela Igreja.
Em todo o seu sucesso e todo o seu sofrimento, Madre Teresa permaneceu como a ” Serva do Senhor “. Ela perseverou nesta atitude também nas grandes provas de seus últimos anos, quando as guerras na Europa e América ameaçaram dividir as famílias e nações, e fechou kulturkampf na Prúcia e missões e Baden. Sua missão começou em tempos difíceis e foi assim até o fim. Em 09 de maio de 1879 Madre Teresa confirmou o último chamado de Deus na sua vida terrena e foi para casa com a paz do Senhor para a sua missão final, que ela descreveu como “adoração e amor eternamente, alegrar eternamente na glória de Deus e de seus santos “. Madre Teresa encontrou seu lugar de descanso final na Casa Mãe em Anger em Munique.

Leave a Reply